Arquivo | julho, 2013

Tiago Iorc

30 jul

Tiago Iorczeski nasceu no Brasil, mas morou na Inglaterra e nos Estados Unidos durante muito tempo, por isso fala tanto Inglês quanto Português, mas se sente mais a vontade com o Inglês. Em 2007, compôs Nothing But A Song só de brincadeira, para testar seus dotes de compositor e enviou para os amigos. A música acabou chegando a alguém da Som Livre, que gostou e colocou na trilha sonora de Malhação. Daí pro convite a gravação na mesma gravadora que o revelou foi um pulo.

O álbum Let Youself In foi lançado em 2008, com nove músicas compostas por ele e os covers de My Girl e Ticket to Ride. Eu só fui conhecer o álbum e o Tiago em 2009, pois a música Blame (uma das minhas preferidas até hoje) foi tema de um comercial maravilhoso da Renner, o que me fez ir atrás do nome e de quem cantava. E que agradável surpresa! O álbum é todo baseado no pop rock e tem letras fofas e um ritmo descontraído e envolvente, bem jovem e leve e, convenhamos: chiclete.


Já em Umbilical, de 2011, Tiago está mais maduro e isso reflete nas músicas, mais profundas e pessoais. Quem acompanhou o trabalho dele desde o início, provavelmente amadureceu junto com ele, então a identificação é mútua. O álbum começou a ser gravado no Rio e depois Tiago foi a NY onde trabalhou com o produtor Andy Chase no restante do CD. Dos dois trabalhos já lançados dele, esse é o meu preferido. As músicas são extremamente delicadas e verdadeiras e é perceptível que ele se sente mais a vontade nesse estilo mais alternativo do que no pop do álbum anterior.


O novo álbum de Tiago se chama Zeski (o restante de seu sobrenome, haha) e foi lançado hoje no iTunes (o álbum físico só sai lá pra metade de Agosto)! Dentre as músicas, estão: Música Inédita (com participação de Maria Gadu), It’s a Fluke, Forasteiro (com participação de Silva) e Yes and Nothing Less, sendo que as últimas duas têm clipes.


O álbum conta com uma regravação de Tempo Perdido, da Legião Urbana, que pode ser conferida em vídeo que faz parte do projeto Studio 62 do fotógrafo e diretor Rafael Kent, e também com a música Um Dia Após o Outro, com participação de Daniel Lopes. Ou seja: Tiago está se acostumando com o português!


Quem quiser comprar, é só clicar aqui!

E por fim, queria dividir com vocês a maior perfeição do mundo: Tiago Iorc cantando Morena dos Los Hermanos! Gente, é muito amor, assistam!


P.S: Assistam também o clipe de Forasteiro aqui, é muito divertido!

ywybv8ilgg1y5hfv9ks9

Anúncios

Blank: A Vinylmation Love Story

27 jul

1016262_541375359232169_1212711656_n

Vinylmation é uma série de figuras colecionáveis vendida nos parques da Disney que faz um sucesso enorme. Pensando nisso, a Disney resolveu fazer uma websérie usando esses bonequinhos. E assim nasceu Blank: A Vinylmation Love Story!

A série é feita no estilo stop motion e vai ter 12 episódios com duração de aproximadamente 3 minutos cada. Segue a história de Blank, um ratinho que teve sua namorada, Bow, seqüestrada e sai em busca dela. Ele é diferente dos outros, pois não tem nenhum traço facial, mas no decorrer da série, ele vai descobrindo sua identidade.

Essa semana saiu um preview da série, e parece que vai ser a coisa mais fofa do mundo, estou ansiosa pra assistir!

 

E além disso, também foi divulgado um vídeo de behind the scenes que mostra a produção da série. Vale a pena assistir!

 


Os primeiros três episódios da série vão ser lançados no dia 11 de Agosto na D23 (que é tipo a Comic-Com da Disney) e o resto dos episódios vai ser lançado todo Sábado no decorrer de Outubro no canal da Disney (são tantos que eu não sei ao certo em qual, haha) no Youtube e no Disney.com

ywybv8ilgg1y5hfv9ks9

Novo single da Birdy

27 jul

birdy-600x450

Quando eu apresentei a Birdy a vocês (nesse post aqui ), eu disse que havia boatos de que ela iria lançar um álbum de originais. Bom, esse dia finalmente chegou!

Fire Within tem lançamento previsto para 23 de Setembro no Reino Unido. O primeiro single, Wings, foi divulgado essa semana, mas por enquanto conta apenas com o áudio.

 

A tracklist também foi divulgada e já tem até as faixas bônus da versão deluxe, eike eficiência!

  1. Wings
  2. Heart of Gold
  3. Light Me Up
  4. Words As Weapons
  5. All You Never Say
  6. Strange Birds
  7. Maybe
  8. No Angel
  9. All About You
  10. Standing In The Way Of The Light
  11. Shine

Deluxe

  1. The Same
  2. Dream
  3. Older
  4. Home

Além disso, ela divulgou um vídeo que também tem o preview de outra música do álbum, No Angel.

E aí, ansiosos para Fire Within?

ywybv8ilgg1y5hfv9ks9

Vem aí Frozen!

23 jul

Mais um filme de contos de fadas da Disney vem aí (para a minha alegria)! Frozen é baseado na história de Snow Queen, de Christian Andersen (o mesmo que escreveu A Pequena Sereia, O Patinho Feio e tantos outros).

Como esse não é um conto muito conhecido no Brasil, acho válido contar a história pra vocês (visto que a Disney vai mudar tudo, como sempre). Tentarei ser breve, mas como esse é um dos contos mais longos de Andersen, essa é uma tarefa difícil. Todo o conto é dividido em sete histórias que formam um todo. Vamos lá!

Um troll malvado cria um espelho mágico que distorce a imagem do que é refletido nele. Tudo que é bom fica em segundo plano, enquanto o que é feio e mau é exaltado. Os alunos do troll (também trolls) querem levar o espelho para o céu e distorcer os anjos, mas quanto mais eles sobem, mais o espelho ri e treme. Ele acaba escapulindo e caindo na Terra, se quebrando em milhares de pedaços. Esses cacos entram nos corações de algumas pessoas, congelando-os, quando entram em seus olhos, elas só veem o mal, assim como o espelho refletiria.

Anos depois, Kai e Gerda são vizinhos e melhores amigos. A avó de Kai conta a eles sobre a Snow Queen, que é a rainha dos flocos de neve. Durante um inverno, Kai a vê do lado de fora de sua janela e ela pede para ele segui-la, mas ele se afasta, com medo. No verão seguinte, os fragmentos do espelho do troll entram nos olhos e coração de Kai enquanto ele lia um livro com Gerda.

De repente, a personalidade dele muda e ele passa a destruir tudo que vê pela frente e até destrata sua avó e Gerda. A única coisa que ainda lhe parece bonita e perfeita são os flocos de neve que chegam no inverno. Um dia, ele sai com seu trenó para brincar e vê um trenó branco, enganchando o seu a ele. O trenó é dirigido pela Snow Queen, que, ao descer dele, vê Kai e o beija duas vezes. Uma para que ele não sinta frio e outra para que ele se esqueça de sua vida. Assim, ela o leva para seu palácio.

As pessoas da cidade percebem que Kai sumiu e assumem que ele morreu. Mas Gerda não desiste. Ela sai em busca de Kai e depois de passar por alguns apuros, ela é presa, mas o homem que cuidava do cativeiro se oferece para levá-la até o palácio da Snow Queen. Lá, os flocos de neve da Snow Queen tentam impedi-la de entrar, mas as suas orações os vencem e ela consegue passar.

Kai se encontra no meio de um lago congelado, quase imóvel. Gerda corre até ele, o abraça e chora. As lágrimas quentes dela são suficientes para derreter o coração de Kai, queimando o fragmento do espelho do troll. Quando ele chora, os fragmentos de seus olhos caem, e ele revê Gerda como ela realmente é. Ela o beija e ele volta a ser saudável e rosado. Kai é salvo pelo poder do amor de Gerda. Eles voltam para sua cidade e ficam surpresos de ver que já é verão!

E essa é a história. Apesar de linda, em nada se parece com a que a Disney vai usar no filme, que é a seguinte:

“Uma profecia condena um reino a um inverno eterno, então Anna (Kristen Bell) precisa se unir a Kristoff (Jonathan Groff), um ousado homem da montanha, na maior de todas as aventuras para encontrar sua irmã, a Rainha da Neve (IdinaMenzel) e pôr um fim no feitiço gelado. Encontrando criaturas míticas, mágicas e extremas como o Everest a cada passo, Anna e Kristoff enfrentam os elementos da natureza em uma corrida para salvar o reino da destruição.“

Sim, Idina Mendel, a diva da Broadway e mãe da Rachel em Glee vai dublar a vilã do filme! Já se sabe que ela vai ter uma música chamada Let It Go,  que deve integrar a cena em que Elsa deixa o reino Arendelle para criar seu próprio castelo de gelo. Kristen Bell também confirmou que vai haver um dueto entre ela e Idina. E como Jonathan Groff (o Jesse St. James de Glee, para delírio da Natália) também é cantor, tudo me leva a crer que ele também vai ganhar um dueto, quiçá uma música só dele! Enfim, a trilha sonora desse filme vai ter o padrão Disney de qualidade.

O motivo de eu estar fazendo esse post é que essa semana foi liberado o primeiro trailer e algumas fotos oficiais do filme. Eu adorei o vídeo, que até parece um curta da Pixar! Se você não gosta de surpresas, pode assistir sem medo, pois não tem NENHUMA revelação sobre o enredo do longa.

 

Mas se você, assim como eu, é muito ansioso for your own good, assista o trailer japonês! Nesse, tem um bom panorama da história e os personagens principais são apresentados.

 

No começo, a Disney ainda pensava em Anna e Kristoff como crianças, assim como no conto original. Depois, por algum motivo, eles passaram a ser adolescentes e essa é a versão que vai pro filme.

O filme estreia nos cinemas americanos no dia 27 de Novembro deste ano e por aqui só em Janeiro de 2014. Já estou ansiosa!

ywybv8ilgg1y5hfv9ks9

Apresentando 78Violet!

21 jul

 

 

78violet+Hothouse

Você provavelmente já ouviu falar das irmãs Alyson e AJ Michalka. Além de atrizes, as duas são cantoras e formaram a dupla Aly & AJ durante anos. Com dois CDs de sucesso lançados pela Hollywood Records (a gravadora da Disney), as meninas decidiram trocar de nome e estilo em 2009, passando a se chamar 78Violet.

Assim, elas lançaram The Next Worse Thing, primeiro single dessa nova fase, que tem uma pegada mais rock (mas ainda não muito pesado) se comparado às músicas anteriores. Porém, no começo de 2010, elas anunciaram que estavam deixando a Hollywood Records e assim, o álbum que gravaram com eles provavelmente nunca seria lançado (embora algumas músicas possam ser encontradas no Youtube).

Já em 2012, elas voltaram ao estúdio com mais liberdade para fazer o que quisessem, pois o álbum foi produzido por elas mesmas através da produtora que criaram. E enquanto a proposta inicial lá em 2009 era fazer algo mais rock, o produto final de 2013 virou indie.

Isso porque o primeiro single oficial já foi lançado e tem até clipe! A música se chama Hothouse e eu já estou escutando como se não houvesse amanhã. O vídeo tem pouco mais de sete minutos, sendo que os três primeiros minutos são só uma introdução. Mas vale a pena assistir tuuuuuudo! O clipe é tão bonito (embora algumas caras e bocas possam parecer um tanto quanto forçadas) e bem feito que dá gosto de ver. Also, cabelo, maquiagem e figurino estão impecáveis, já estou querendo tudo!

 

E por falar nisso, algo que mudou muito nesses anos foi o estilo das meninas. Antes, elas eram típicas adolescentes, sempre de jeans e camisetas legais. Agora que são mulheres e amadureceram bem mais, ambas estão mais glamourosas e fazendo a linha boho. Destaque pro cabelo da Aly que ficou DI-VI-NO com essa cor!

78Violet já começou a fazer shows por aí afora e vale a pena dar uma conferida nos vídeos do Youtube, a maioria tem uma qualidade boa e é ótimo pra ver a química impressionante que essas meninas têm no palco. Elas devem lançar o novo álbum ainda esse ano, mas não tem data prevista, então fiquem atentos!

ywybv8ilgg1y5hfv9ks9

Novo trailer de Em Chamas!

20 jul

Acabou de sair o novo de trailer da continuação de Jogos Vorazes e só tenho uma coisa pra falar: cadê novembro?

natalia

Fifth Harmony

18 jul

Só eu que estava sentindo falta de uma girlband com músicas que não saem da sua cabeça?

Ally Brooke, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Camila Cabello e Dinah Jane

Ally Brooke, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Camila Cabello e Dinah Jane

A banda foi formada no The X Factor do ano passado e chamou bastante atenção aqui fora como o Emblem3. Ficou em terceiro lugar na competição, mas assinou um contrato com a gravadora de Simon Cowell, que era o seu técnico no programa. Com o disco pra ser lançado ainda esse ano, foi divulgado o clipe do primeiro single das meninas que está ótimo e já escutei incontáveis vezes:


 E lançaram o áudio da nova música delas e eu gostei bastante também!


 Mas elas não focaram só no álbum e também fizeram covers pro youtube e ainda fizeram parceria com o Boyce Avenue!

 

 
Minha preferida é a Lauren, mas todas cantam muito bem e é difícil ter uma banda onde todo mundo é ótimo! Estou ansiosa pelo disco e tenho certeza que elas vão fazer muito sucesso ainda.

Twitter Facebook

natalia

Pinky Wednesday: The Voice

11 jul

Sempre quis assistir o The Voice US por motivos de: Adam Levine. Sim, sou dessas. Mas eu sempre esquecia de acompanhar e como eu não vi a versão brasileira, eu nem sabia como era o estilo do programa. Mas esse ano Usher virou um dos jurados então eu não pude perder a oportunidade de ver Adam e Usher em um mesmo programa.

Eu adorei o formato da competição e pude conhecer vários talentos! Muitos dizem que o nível dos participantes dessa temporada foi bem superior que dos anos anteriores e eu acho que é verdade porque tinha muita gente boa no programa. Danielle Bradbery de 16 anos foi a grande campeã da edição, mas eu sou Team Michele desde que ela apareceu pela primeira vez e fiquei bastante chateada quando ela ficou em segundo lugar. Danielle, que era do time de Blake Shelton, fez com que o cantor ganhasse pela terceira vez no programa.

Então eu fiz uma seleção de apresentações que mais gostei do programa todo, infelizmente alguns vídeos estão em péssima qualidade ou eu não achei o vídeo da apresentação, pois o canal do programa não está disponível no Brasil.

Sarah Simmons – One of Us

Eu adoro essa música e fiquei toda arrepiada quando escutei essa mulher cantando. A voz dela é tão poderosa que você fica impressionado em como ela ainda não é uma cantora de sucesso e não é lindo o pai dela chorando?!

Kris Thomas – Saving All My Love For You

Eu tenho certo medo de pessoas que cantam Whitney Houston porque eu sempre acho que não vai ser bom, afinal, estamos falando de Whitney Houston, mas qual foi a minha surpresa que um homem ia cantar tão bem uma música dela? O que é esse agudo dele?

Ryan Innes – Gravity

 O único vídeo que achei foi esse da família dele vendo o programa então se você quiser ver a apresentação dele você coloca a partir de 2:30!

Como esse homem não ficou até final? Isso é o que eu me pergunto sempre! Eu fiquei arrepiada desde o primeiro ‘gravity’ e parece que não fui a única já que Adam apertou o botão aí também. Uma pena que ele foi eliminado na próxima etapa, mas espero ver mais coisa dele por aí. Se você quiser escutar a versão de estúdio é só clicar aqui.

Judith Hill & Karina Iglesias – It’s a Man’s Man’s Man’s World

Judith era a voz mais poderosa da competição e a preferida para ganhar, então quando Adam colocou a Karina para competir com ela eu achei que Judith ia esmagar ela, mas qual foi a minha surpresa e a de muitos que Karina conseguiu segurar muito bem e fizeram o melhor Battle Round da temporada e segundo Adam, de toda a competição e eu acho bem provável. Fiquei com pena do Adam por ele ter que escolher somente uma delas.

Garrett Gardner – I Want It That Way

Eu tenho um fraco por voz rouca, então quando Garrett apareceu pela primeira vez ele logo se tornou um dos meus preferidos da competição. Adorei a versão dele para a música do Backstreet Boys e também gostei bastante da sua versão de Imagine do John Lennon, mas não achei o vídeo. Fiquei chateada quando ele saiu tão cedo da competição também.

Michelle Chamuel – True Colors

Na sua audição, Michelle cantou Katy Perry então eu fiquei surpresa com essa escolha do Usher para ela porque é uma música mais lenta e ela arrasou! Sou apaixonada por essa música e me emocionei junto com ela cantando.

Josiah Hawley – The Man Who Can’t Be Moved

Amo essa música e Josiah mostrou que não é só mais um rostinho bonito com essa apresentação. Gostei muito e pra mim foi a sua melhor performance no programa.

Sarah Simmons – Mamma Knows Best

Sarah durante algum tempo só cantou músicas um pouco mais lentas e angelicais, mas, para mim, a sua voz é para cantar músicas desse estilo porque mostra todo o seu poder vocal. Achei simplesmente perfeita essa apresentação.

Michelle Chamuel – Just Give Me a Reason

Outra música que eu amo e que fiquei ainda mais apaixonada com a versão da Michelle <3. E podemos perceber o orgulho do Usher!

Judith Hill – The Way You Make Me Feel

Judith já fez um dueto com o Michael Jackson, só aí já podemos ver o quanto que ela é boa. Ela é aquela concorrente que todos sabem que é ótima. Então, nada mais justo que ela faça uma apresentação com uma música de MJ e eu achei que ficou ótimo! Melhor apresentação dela.

Amber Carrington – Skyfall

Tenho também medo de pessoas que cantam Adele e já escuto com certo preconceito porque sempre acho que não vai ficar bom. Amber fez uma apresentação tão boa que me fez gostar da música já que eu não gostei muito na versão da Adele. E preciso dizer que ela estava linda! (shippei ela com o Adam depois dessa apresentação hahaha)

Danielle Bradbery – Please Remember Me

Da grande vencedora da competição eu só gostei mesmo dessa apresentação. Pode ser porque eu gosto bastante da música ou porque eu não conhecia a maioria das músicas que ela cantava já que ela é country e eu não costumo escutar muito esse tipo de música.

Michelle Chamuel – Time After Time

Acho que ninguém tem dúvida que a melhor dupla da temporada foi Usher e Michelle. Estava estampado para todos o orgulho que ele tinha toda vez que ela cantava e o quanto ela era agradecida a ele por tudo que ele tinha feito para ajudar ela. Ela cantou essa música em homenagem a ele e ficou lindo! (shippando os dois também hahaha) 

Michelle Chamuel & One Republic – Counting Stars

E o que Michelle faz na final para ficar ainda mais no meu coração? Canta com o One Republic, que é uma das minhas bandas preferidas! Achei que ficou ótimo e estou esperando mais parcerias assim.

E para fechar o post, eu deixo todo o charme do Usher com vocês:

natalia

Extremely Loud & Incredibly Close

8 jul

Eu cheguei a esse filme por acaso. Na verdade, eu estava procurando uma comédia romântica bem leve pra passar o tempo, mas quando abri minha lista de gravações da Tv a cabo descobri que não tinha nenhuma. Resolvi assistir esse só porque estava sem nada pra fazer. E no final fiquei com uma sensação de por que eu não vi esse filme antes?

Tão Forte, Tão Perto (nome em português do filme) é a história de um menino que perde o pai no atentado de 11 de Setembro. Ele era o melhor amigo do garoto e deixa um vazio imenso na vida dele. Oskar é muito inteligente e por isso o pai costumava organizar expedições, que nada mais eram do que brincadeiras em que ele tinha que resolver algum tipo de mistério para achar alguma coisa.

Na verdade, a real intenção disso era fazer com que Oskar se comunicasse com os outros. Por ser muito esperto e diferente das outras crianças de sua idade, ele não tem muitos amigos e é zoado pelos outros. Um ano depois da morte do pai, ele acha um envelope (com o nome Black) com uma chave dentro do bolso de uma roupa do pai. Ele trata aquilo como a última expedição que o pai deixa pra ele e sai em busca do tal Black para descobrir do que se trata.

Ele procura todas as pessoas que tenham o nome Black em Manhattan e vai a casa delas para perguntar se conheceram seu pai ou se sabem algo sobre a chave. Os encontros com essas pessoas são muito diferentes: alguns alegres, outros emocionantes e outros mal sucedidos. O que importa é que o pai dele realmente conseguiu o que queria: fazer com que ele interagisse com os outros. E é impressionante como ele consegue tocar as pessoas emocionalmente (tanto para o bem quanto para o mal) e em consequência, tocar o expectador. O primeiro encontro, por exemplo, se dá de forma tão simples, mas é tão bonito, que me deixou de olhos marejados o que não é muito difícil, but still.

No final das contas, Oskar se vê envolvido com pessoas que ele nem conhece, mas que se sensibilizam com sua história. E na tentativa de ficar mais próximo de seu pai falecido, ele acaba se aproximando de sua mãe (que geralmente ficava em segundo plano) e de uma pessoa que aparece em sua vida do nada, mas que rapidamente se torna muito importante.

O filme é todo pontuado por flashbacks envolvendo o pai de Oskar que nos mostram a relação deles dois e como ele era um cara excepcional. Isso só nos faz ficar mais apegados a Oskar e mais emocionados cryyyyyyyyy. E bem, eu sei que a maior parte da crítica especializada teceu comentários negativos sobre o filme, mas eu, sinceramente não vejo nenhum erro. E é por essas e outras que nunca serei crítica de nada, hahaha.

Gostaria de destacar a atuação de Thomas Horn e Max von Sydow, sendo esse último indicado ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante por esse filme. Max dá um show com um personagem que não fala uma única palavra no filme todo, mas mesmo assim, diz tudo. Claro que não se poderia esperar menos de um cara que fez vários filmes com Ingmar Bergman.

And then there’s Thomas Horn. Ele é brilhante, assim como seu personagem (Oskar), e conseguiu a chance de fazer os testes para o filme depois de ganhar um game show de perguntas e respostas. Ele tinha 13-14 anos na época das filmagens, mas realmente parecia ter 11 anos, idade do personagem. E é impressionante como um menino tão novo (eu, a velha)  e estreante consegue chegar a um nível emocional tão grande, de modo que envolve todos em seu mundo. Palmas!

E depois disso tudo, só tenho uma coisa a dizer (e quem viu o filme vai entender):  oito minutos.

ywybv8ilgg1y5hfv9ks9

Skins – Terceira Geração

2 jul

Eu pensava seriamente em não assistir a quinta e sexta temporada já que não tinha gostado tanto da segunda geração quanto eu achava que ia gostar e porque não tinha um rosto conhecido, mas ainda bem que assisti! Skins volta a mostrar o cotidiano dos personagens de uma forma simples e sem ser exagerado. Essa terceira geração é a menos popular, o que é uma pena!

skins tercSomos apresentados primeiro a Franky, uma personagem diferente com aparência meio andrógena e que não temos certeza da sua sexualidade durante algum tempo.  No começo vemos que ela é adotada e tem dois pais gays, ela é novata na escola e bem tímida e é a protagonista dessa geração. É uma personagem bem diferente e eu gostei bastante dela no início, mas na sexta temporada eu fui ficando com raiva dela, o que eu acho que foi o que aconteceu com a maioria das pessoas. Depois conhecemos as três amigas Mini, Liv e Grace.

Mini é a típica loira, popular, bitch, que tem um namorado também popular que é jogador de rugby, Nick, e tem suas melhores amigas fiéis. No começo eu achei ela super clichê, que eu não ia gostar dela e que a personagem ia ficar meio perdida no mundo de Skins, mas me enganei. No decorrer dos episódios nós vamos entendendo aos poucos como é a Mini e a adoramos e eu adorei o final dela. Liv é a minha personagem favorita dessa geração. No começo parece que ela não vai chamar muita atenção na série, mas no seu episódio é mostrada a complexidade dela. Grace (linda!) é bailarina, sempre vê o bem das pessoas e se dá bem com todo mundo. No início parece que ela é influenciada por Mini e que não tem opinião própria, mas está longe disso.

E a grande diferença dessa geração de toda série foram os personagens Rich e Alo, que logo viram amigos de Franky. Rich é um metaleiro que se acha melhor do que todo mundo, que metal é a única música de verdade e só tem Alo como amigo. Ele é bem tímido e não tem muito contato com garotas. Diferente de Alo, que mora em uma fazenda e é viciado em pornografia e que não vê a hora de perder a virgindade.

skins terc2Admito que no início eu não me apeguei muito aos personagens, mas lá no meio da quinta temporada eu já adorava cada um e já estava triste por saber que o final já era certo na sexta temporada e que nenhum deles ia participar da sétima temporada. Acho que como eu não fui com grandes expectativas eu aceitei mais fácil essa geração.

A evolução de cada personagem é notável no início da sexta temporada e o casal formado por Grace e Rich (não é spoiler já que dá pra ver que isso acontece no segundo episódio…) é o mais bonito de toda a série! Infelizmente eu não posso falar muito da sexta temporada já que vai ser spoiler, mas o final é bem digno da série e fecha todas as histórias na sexta temporada (diferente da segunda geração). Skins é aquele tipo de série que você quer que nunca acabe, mas infelizmente acabou e pelo menos, para mim, muito bem. Recomendo a todos!

natalia